Censo Imobiliário 2017: Com estoque menor, setor espera retomada em 2018

Terça-Feira, 07 de novembro de 2017

Censo Imobiliário 2017 revela cautela das empresas que lançaram menos empreendimentos diante do cenário econômico vivido no período

Apesar da queda nas vendas, o setor da construção civil de Bento Gonçalves vê como positivo a redução do estoque que passou de 1.374 unidades no ano passado para 1.115 este ano, tendo como base o período de agosto de 2016 a agosto de 2017. Os dados foram divulgados pela Ascon Vinhedos, que apresentou o Censo Imobiliário 2017 na noite desta terça-feira, 7, reunindo associados e imprensa, na sede da entidade.

O diagnóstico constatou 173 empreendimentos na cidade, com áreas superiores a 500 metros quadrados, sendo 109 destes com unidades à venda ou vendidas de 58 empresas, com uma representatividade de 89,60% empreendimentos. Mesmo com o lançamento de 264 unidades, o estoque de 2016 que era de 1.374 imóveis caiu 19% diante da venda de 523 unidades, o que é considerado altamente positivo pelo setor diante da situação econômica vivida no país neste intervalo de 12 meses.

“Tivemos uma grande redução no número de lançamentos em razão do cenário econômico que vinha se acumulando. O que as empresas sentiram em 2015 se refletiu agora com mais cautela. Mesmo em ritmo mais lento, as vendas aconteceram e, por isso, comemoramos a redução do estoque. A tendência agora é de retomada”, destaca o presidente da Ascon Vinhedos, Andrey Arcari.

Arcari ressalta, ainda, que o tempo de reação do setor é mais lento, pois depende de uma série de fatores. “Para lançar um novo empreendimento é preciso, antes de mais nada, encontrar a área ideal, comprar o terreno, desenvolver o projeto e aí sim fazer o lançamento. Isso leva, em média, um ano”, explica o presidente.

O levantamento também mostra que 51,4% das unidades vendidas estão enquadradas na categoria econômica, ou seja, abaixo de R$ 170 mil. Entretanto, 51,7% das unidades que estão à venda ficam entre R$ 200 mil e R$ 500 mil. Dos 1.115 imóveis em oferta para venda 93,8% são residenciais (1.046) e 6,2% comerciais (69). A maioria, 657 unidades, são de apartamentos com dois dormitórios, seguido pelos de três dormitórios com 205 unidades. Mais da metade ainda está em fase de construção.

Outra informação que mostra mudança no comportamento de venda é em relação a localização dos empreendimentos. Nesta edição, os bairros Centro e Cidade Alta lideram o ranking de unidades vendidas por bairro com 42% do total de imóveis comercializados. Juntos, também representam 37% dos imóveis em estoque. Estas posições eram ocupadas pelos bairros Humaitá e São Francisco na pesquisa anterior.

Para Rafael Panazzolo, coordenador da pesquisa, o Censo Imobiliário é uma importante ferramenta capaz de munir as empresas de informações diferenciadas para qualificar a gestão. “São dados quantitativos de imóveis residenciais destinados à comercialização que formam um diagnóstico mais preciso do setor, servindo de suporte para a tomada de decisões”, explica.

A pesquisa levantou, por meio de informações retiradas de relatórios fornecidos pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano (Ipurb), além de contato direto com os construtores e incorporadores, a disponibilidade de imóveis novos na cidade. Obras industriais não entram no diagnóstico. O Censo Imobiliário de Bento Gonçalves 2017 está disponível no site www.asconvinhedos.com.br.

Fotos: Lucinara Masiero / Conceitocom Brasil

Patrocinadores


Apoiadores

Índice INCC

Outubro/2018 - N° Índice: 741.859 - Variações:

0,33%

% ao mês

3,57%

% ao ano

4,00%

% ao 12 meses